Bolsas de Estudos fora do Brasil

Primeiro. Acumule e estimule os apelos para recuperação obtidos pelos candidatos listados no Anexo I desta Resolução e conceda as bolsas de estudo pelas modalidades indicadas e pelo valor de 66,992,60 euros.

Financiar bolsas de estudo nas modalidades indicadas, uma vez corrigido o erro, aos candidatos enumerados no Anexo II desta Resolução por um montante de 5.703 euros. Conceder uma bolsa de estudo na modalidade de inscrição aos beneficiários listados no Anexo III, por um montante de 449.301,15 euros, como conseqüência da elevação dos limiares de renda.

Quarto. Reconhecer a obrigação e propor o pagamento de bolsas concedidas pelos montantes constantes dos Anexos I, II e III desta Resolução, que totalizam um total de 521,996.75 euros. Esses pagamentos devem ser feitos a partir da seguinte linha orçamental: 18.07.323A. 480,00 L.A. 18404502

Quinta. – Os estudantes que figuram no Anexo III desta Resolução, que foram beneficiários de outra bolsa de estudo na mesma modalidade de registro por outro órgão público, são obrigados a comunicar à Direção Geral de Universidades dentro de 1 mês a partir da publicação no Diário Oficial das Ilhas Canárias de sua demissão, caso contrário, o procedimento de reintegração começará. Contra esta resolução, que encerra o procedimento administrativo. https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6299272319386873857

Como Estudar fora Brasil?

Em primeiro lugar, a Lei 8/2003, de 3 de abril, de Bolsas de Estudo e Auxílio a Estudos Universitários (BOC nº 73, de 15.4.03), visa estabelecer o regime geral de bolsas de estudo e bolsas para estudos universitários que O Governo das Ilhas Canárias oferece em sucessivas chamadas anuais dos Orçamentos Comunitários, a fim de facilitar o acesso dos alunos a eles.

Segundo. O Decreto 30/2004, de 23 de março, regula o Regime Jurídico de Bolsas de Estudo, Subsídios e Subsídios a Estudos Universitários e Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (BOC nº 65, de 2.4.04). Em conformidade com o artigo 12.º, a resolução que concede as subvenções ou auxílios indicará o beneficiário, o montante, a execução orçamental das despesas e a forma de pagamento.

Bolsa de Estudos

Terceiro.- Lei 38/2003, de 17 de novembro, Geral de Subsídios (BOE nº 276, de 18.11.03), do Real Decreto 887/2006, de 21 de julho, pelo qual o Regulamento da Lei 38/2003, de 17 de novembro, Geral de Subsídios (BOE nº 176, de 25.07.06), bem como, Decreto 36/2009, de 31 de março, modificado pelo Decreto 5/2015, de 30 de janeiro, que estabelece o regime geral de subsídios da Comunidade Autónoma das Ilhas Canárias (BOC nº 68, de 8.4.09), no que diz respeito ao procedimento de reintegração e regime de sanção.

Quarto. – A Ordem do Hon. Sr. Conselheiro de Educação, inscrição fies Universidades e Sustentabilidade, datado de 31 de julho de 2014 (BOC nº 155, de 12 de agosto de 2014), que aprova, com validade indefinida, as bases regulatórias pelas quais as chamadas serão regidas de bolsas para estudos universitários.

Quinta. – A ordem do Hon. Sra. Conselheira de Educação e Universidades, datada de 12 de agosto de 2016 (BOC 168, de 31 de agosto de 2016), que pediu bolsas de estudos universitários no curso 2016/2017, através do processamento antecipado.

Sexto.- A base indefinida, décimo segundo ponto 5, afirma que: “À medida que as fases sucessivas de estudo, verificação e seleção são finalizadas, serão elaboradas relações provisórias provisionais de bolsas de estudo e auxílios a serem concedidos e negados.

Veja os Métodos

Bolsas de estudo e subvenções concedidas e negadas, que devem ser aprovadas pelo Diretor Geral de Universidades, serão publicadas nos quadros de avisos do Departamento Geral de Universidades e do Bureau of Grants of the Canary Islands Universities e no site da Direção Geral das Universidades, de modo que, no prazo de dez dias, as pessoas em causa apresentam os argumentos que considerem adequados, acompanhados dos documentos em que se baseiam.

Bolsa de Estudos

E, de acordo com o ponto 6 da mesma base: “Após a expiração do período de alegações, a Direção Geral de Universidades avaliará a adequação da emissão de resoluções parciais que concedam bolsas de estudo que, tendo sido proposto pela Comissão de Seleção, não sofreram qualquer alteração durante o período de alegações. Aqueles que sofreram alteração serão novamente submetidos à Comissão de Seleção para uma nova proposta.